/ Dashboards de Resultados

Por que um dashboard de marketing digital é importante?

Um dos maiores desafios dos profissionais de marketing é embasar os seus investimentos em estratégias de ações digitais. Com a visualização e análise dos dados corretos, será possível que este profissional apresente os resultados que a sua equipe precisa de forma rápida e fácil. Para isso, um dashboard de marketing digital, painel que centraliza de forma clara e objetiva os principais dados estatísticos e qualitativos, será essencial para medir o ROI (retorno sobre o investimento) das suas campanhas.

De acordo com a pesquisa “Customer Experience is Written in Data” realizada pelo Google 56% dos líderes de marketing concordam que decisões orientadas por dados são superiores se comparadas com aquelas tomadas por instinto ou experiência. Para identificar qual é o melhor modelo de dashboard para suas campanhas digitais é preciso definir primeiro a estratégia de integração e visualização de dados.

Existem, basicamente, três tipo de dashboard:

  • Operacionais: mostram as métricas necessárias para otimizações rápidas;
  • Estratégicos: rastreiam os indicadores-chave de desempenho;
  • Analíticos: essenciais para a análise de grandes volumes de dados que poderão indicar tendências das suas campanhas.

Com um dashboard que centraliza e organiza indicadores relevantes para o negócio, será possível obter as análises que você precisa para a tomada de decisões rápidas e estratégicas. Assim, você mantém a otimização e garante a máxima performance da sua ação digital, seja ela um e-mail marketing ou uma campanha de mídia para alavancar vendas no seu e-commerce.

Por exemplo: em uma campanha de Google Adwords, um dos principais canais de veiculação de anúncios na internet, diversos indicadores precisam ser acompanhados diariamente para garantir o bom desempenho dos anúncios. Simples otimizações de segmentação, palavras-chave ou termos de pesquisa podem ser cruciais para transformar um ROI insatisfatório em lucrativo. E é nesta hora que ter um dashboard de marketing digital bem planejado fará toda a diferença.

Mas antes de decidir quais métricas e KPIs integrar ao seu painel de controle, confira a seguir quais são e como funcionam os principais canais digitais de aquisição para alcançar o seu público-alvo:

E-mail

O bom e velho e-mail marketing continua sendo essencial tanto para relacionamento, quanto para venda. Para ter bons resultados com esta ferramenta, é preciso conhecer bem a base de dados do seu e-mail e acompanhar os seguintes indicadores:

  • Taxas de crescimento e inativação da base de contatos;
  • Taxas de abertura;
  • Cliques em links específicos;
  • CTR (click-through rate): indicador encontrado a partir da divisão entre clique e abertura.

Organic Search (Tráfego Orgânico)

O Organic Search, ou tráfego orgânico, acontece quando um usuário acessa um site a partir da pesquisa de um termo no Google, ou outros mecanismos de busca como o Bing, Yahoo, Ask, etc. Para gerar tráfego orgânico, o conteúdo do seu site ou blog precisa ser otimizado para obter um bom ranqueamento em tais mecanismos. Este trabalho de otimização é chamado de SEO (Search Engine Optimization) e pode ser mensurado através de alguns indicadores como:

  • Rankings das palavras-chave: para identificar de onde vem o seu tráfego;
  • Backlinks e links de domínios raiz;
  • Tempo médio na página;
  • Páginas por visitante;
  • Usuários que retornam à página;
  • Bounce rate (taxa de rejeição da página).

Paid Search (Busca paga)

Pode ser resumido às “pesquisas pagas” ou SEM (Search Engine Marketing). O Google AdWords é a plataforma de pesquisa paga mais popular entre os profissionais de marketing, seguida da Bing Ads e Yahoo Ads.

Nos links patrocinados do Google, você seleciona para quais buscas (termos) o seu anúncio vai aparecer. Existem diversas métricas para medir o sucesso das suas campanhas de paid search. Entre as mais importantes estão:

  • Quality Score (qualidade e relevância dos anúncios que estão sendo veiculados)
  • CTR (divisão no número de cliques x número de vezes que eles foram exibidos),
  • CPC (custo por clique) e taxa de impressões,
  • Taxa de conversão (divisão do número de cliques x número de vezes que um determinado objetivo da campanha foi atingido),
  • Custo por conversão (divisão do valor investido x número de vezes que um objetivo foi atingido, como por exemplo aquisição de novo um lead).

Social

O tráfego gerado do clique de um usuário em uma postagem de Facebook, Instagram, Twitter ou qualquer outra rede social direcionando-o para um site, define-se como Social. Para medir os resultados no seu relatório de marketing digital, é importante ficar atento aos indicadores extraídos do Facebook Insights, Twitter Analytics, Youtube Insights e derivados de cada rede social, além é claro, do Google Analytics. Confira alguns destes principais indicadores:

  • Canal: compare o desempenho de diferentes canais para focar no que mais gerou tráfego;
  • Campanhas pagas versus orgânicas: faça a comparação para determinar se os seus investimentos estão ou não gerando os resultados que você precisa;
  • Tempo: confira os melhores horários para postar por dia da semana. Use esta informação para gerar mais impacto da sua presença em redes sociais, sem criar conteúdo desnecessário,
  • Audiência: entenda quais são os interesses e perfis que mais geram resultados para otimizar as segmentações de suas campanhas.

Direto

O tráfego direto acontece quando um usuário digita a URL de um site diretamente no navegador. Geralmente, isso ocorre quando este usuário já conhece a marca, seja através do impacto de outras campanhas (online ou offline), ou por alguma outra experiência prévia que o fez lembrar e acessar o seu domínio de forma direta. Uma alta taxa de tráfego direto é um ótimo indicador do valor de marca da sua empresa.

Mas o fluxo de tráfego direto merece uma atenção especial na análise pois é muito comum que a origem dele seja “desconhecida”. Basicamente, isso ocorre quando o Google Analytics identifica alguma outra fonte de tráfego como direto. Alguns destes casos são:

  • Cliques em links de e-mails marketing;
  • Acessos ao site vindos de links encurtados;
  • Quando a linkagem de uma URL de campanha, seja de Redes Sociais, e-mail marketing ou anúncios pagos, não está parametrizada com a origem correta.
  • Para minimizar essa margem de erro, procure sempre usar os parâmetros UTM do Google Analytics e atente-se a qualquer mudança repentina nos relatórios de canais de aquisição de tráfego.

Referência

Resume-se ao tráfego gerado por sites que indicaram a sua URL, aumentando assim, a influência do seu site. O tráfego de referência está ligado ao Link Building, uma das principais estratégias de SEO que visa adquirir links para suas páginas em sites de terceiros que sejam relevantes para o negócio. Pelo seu dashboard, o fluxo de referência, ou referral, indicará quais sites citaram a sua marca e alguns outros indicadores como sessões, novas sessões, novos usuários e bounce rate.

Agora que você já conhece os principais canais de aquisição, fica fácil selecionar os indicadores adequados para montar o seu dashboard de marketing digital e manter o controle dos seus investimentos.

Com um painel bem planejado, você visualiza de forma prática as ações e canais que têm apresentado maior relevância nas suas iniciativas de marketing. E pode decidir com rapidez como otimizar as suas campanhas e melhorar os resultados de ações que ainda não tiveram boas performances.

A Keep.i é uma plataforma de dados que te permite criar Dashboards em menos de 3 minutos sem necessidade de implementação! Conheça nossos benefícios e faça um teste grátis por 7 dias para experimentar essa nova forma de acompanhamento de dados e resultados de marketing digital.

Por que um dashboard de marketing digital é importante?
Share this

Assine nossa newsletter